Uma imagem vale mais que mil palavras! O que os olhos não veem, o coração não sente! É preciso ver para crer!

Você já deve ter lido ou escutado essas frases inúmeras vezes ao longo da sua vida pessoal e profissional. São afirmações cheias de significados, e que podem ter diferentes interpretações, dependendo do contexto em que são inseridas. Em uma rápida pesquisa no Google, pode-se encontrá-las em textos e artigos diversos sobre globalização, internet, fotografia, marketing, publicidade, filosofia, relacionamentos e história, só para citar alguns exemplos. E apesar das inúmeras e diferentes abordagens encontradas, não consegui encontrar uma única que… discordasse delas!

Há mais de 15 anos trabalhando com comunicação visual corporativa, sinto-me bem à vontade para afirmar que, além de verdadeiras, essas três frases juntas, têm “poderes mágicos” para fechar negócios, viabilizar projetos e mudanças, alavancar carreiras e muito mais. Acredito ainda que, se há um contexto em que elas se materializam com mais clareza, esse contexto é o cotidiano das empresas e organizações.

Reuniões, seminários, palestras, convenções, workshops, treinamentos. Com pequenas variações, existem três elementos sempre presentes em todas essas situações: Um apresentador (você!), uma platéia, e uma tela, acompanhada de um projetor de… IMAGENS! Se você está começando a construir sua carreira profissional e ainda não foi convidado (ou intimado) a fazer uma apresentação em uma dessas situações, fique tranquilo: o convite vai chegar!

E quando ele chegar, terá início uma sequência de ações e acontecimentos que, invariavelmente, obedece a um mesmo script, independente da sua atividade, empresa ou tipo de evento. As mesmas cenas, os mesmos personagens, os mesmos conflitos. É como nas histórias do Batman ou Super Homem. Todo mundo já viu, todo mundo conhece e todo mundo sabe como acabam, mas tem sempre uma nova versão e incontáveis continuações. Dá até para dizer que existe um tipo de norma ISO informal para esse tipo de situação.

Pode acreditar. Já vivenciei essa história centenas de vezes ao longo da minha vida profissional e já estive em todos os papéis possíveis. Já fui protagonista e coadjuvante, herói e vilão. Ao longo dos meus quase 35 anos de vida profissional, já fui palestrante e instrutor, já fui platéia, já fui fornecedor de equipamentos audiovisuais, produtor de eventos e produtor de apresentações audiovisuais.